Notícias

DF: falta de combustível afeta serviços da CEB e Caesb

29
Mai

DF: falta de combustível afeta serviços da CEB e Caesb

A falta de combustível afetou a prestação de alguns serviços de água e energia prestados pela Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e pela Companhia Energética de Brasília (CEB), respectivamente. 

Na CEB, a situação é um pouco mais complicada. Desde sexta (25/5), estão suspensos os cortes de energia por falta de pagamento. Isso porque a empresa não está conseguindo se deslocar aos imóveis em virtude da escassez de combustível. Pelo mesmo motivo, solicitações de novas ligações não estão sendo sequer agendadas. Apenas os pedidos emergenciais são atendidos.

Conforme anunciou a Caesb, nesta terça-feira (29/5), a empresa responsável pela leitura de contas na região do Park Way não conseguiu realizar o serviço neste mês. Para que não haja acúmulo de consumo para junho, a estatal vai fazer o cálculo das contas pela média histórica da residência. O problema atinge 2.559 domicílios.

“Em algumas localidades, em função da distância entre os imóveis, a leitura de hidrômetros só pode ser realizada com o uso de motocicleta, o que não pode ser feito por falta de combustível. Por essa razão, a maior parte deles terá suas contas de água faturadas com base na média de consumo”, explicou a Caesb, em nota.

O consumidor que não aceitar o cálculo realizado pela média poderá informar o número registrado no hidrômetro por e-mail (caccn@caesb.df.gov.br) ou pelo telefone 115, até o dia 25 de junho. O usuário deverá informar a inscrição ou endereço do imóvel, o número registrado no hidrômetro e a data do registro.

Essas contas serão geradas automaticamente e, na próxima semana, estarão disponíveis no site da Caesb (www.caesb.df.gov.br) ou no aplicativo de celular (App Caesb). A efetiva entrega somente poderá ser realizada quando a situação dos postos for normalizada. De acordo com a empresa, outros serviços estão sendo feitos normalmente.

Abastecimento
Para tentar reduzir os impactos nos serviços públicos, a Polícia Militar tem escoltado caminhões-tanque a postos conveniados que abastecem a frota do Governo do DF e suas empresas.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis), o problema de desabastecimento na cidade continua pelo menos até o fim de semana.

Conforme informou o diretor-geral do sindicato, Daniel Costa, o DF recebeu cerca de 8 milhões de litros entre sábado (26) e segunda (28), mas a quantidade não foi suficiente para evitar esperas em filas que podem até ultrapassar quatro horas e o fechamento de centenas de postos.

Outros serviços públicos também vão continuar restritos. As cirurgias eletivas, ou seja, as marcadas com antecedência, seguem suspensas. A decisão só não vale para o Instituto Hospital de Base (IHBDF). As ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também atenderão somente aos casos emergenciais.

Fonte: metrópoles